sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

LITERATURA TAMBÉM É ARTE

Peguei umas aulas de Literatura e Música também, no ensino Fundamental I.
Pensei em fazer um projeto que envolva as duas disciplinas.
Dessa forma, irei trabalhar com a poesia e a música de Vinícius de Moraes nos três primeiros anos e nos dois últimos, Cecília Meireles.
Pra começar, no primeiro ano, vou iniciar com uma música antiguinha:
"Se você está contente bate palmas (clap, clap, clap)
Se você está feliz levanta a mão
Se é grande o seu amor fica de pé.
Vamos todos assentar
E um sorriso vamos dar (há, há, há,)
E agora, bem baixinho, bate palma (clap, clap, clap)
Bate palma
Outra vez! (clap, clap, clap) (BIS)"

Para o projeto, já irei começar a ensaiar a música "O Pato" de Vinícius, trabalhando, primeiro a poesia, depois a melodia.
Depois disso, vou trabalhar uns poeminhas que se referem às letras do alfabeto:


CONEXÃO DA BICHARADA

Algazarra das araras:
o A anuncia
que amanhece
na Amazônia

O B berra no bebê,
bate na bigorna,
bimbalha no badalo.
Bom de barulho, o B!O
C cambaleia na corcova do camelo
no cachimbo do califa
e cai: catrapus

Emergência! Emergência! O elefante entrou
No elevador
Do edifício!

Na palavra “dedo” O D de “de”
É o mesmo D
De “do”: dedo
“fogo”, “fagulha”, “fornalha” se escrevem todos com F.
mas “frio” também! Uma falha do alfabeto?
E “falha” também é com F...

G: um gole gostoso Do gargalo da garrafa:
GLU – GLU – GLU- GLU.
O G é um grande guloso!

É com o H Que a filha sai da fila,
Que malha sai da mala.
Com H a mana faz manha

Se você gosta do I
Aprenda o idioma dos índios
E diga depressa: igara,
Inúbia, Itaquaquecetuba.

- Já jantou, jabuti? – Ora essa!
Jantei jaca e jabuticaba.
Jabuti janta depressa
Com jabuticaba e jaca

O L é uma letra louca. Transforma a nota mi em 1000
E faz a uva andar de luva,
Cabra descobrir o Brasil.

Mandaram o macaco maluco De maca para o manicômio.
Mas o médico que o medicou disse:
- Não é nada. É só macaquice.

Nada mais nada: nada Nada menos nada: nada
Peixe com peixe: nada.
Peixe sem peixe: nada

O O é oval como o ovo Ou redondo como um olho,
Pequeno como uma pulga
Ou grande como um repolho.

Por “P” principia “palavra”, Por “P” principia “poesia”,
Pois palavra sem poesia
Não parece nem palavra.

O Q é uma letra pesada De “quilo”, a letra comprida
De “quilômetro”, a letra alegre
De “quermesse” e de “quindim”.

O R é o rato que rói A roupa do rei da Rússia
E ri de raiva a rainha
Sem recear a ratoeira.

O sapo saltou na sopa De um sujeito que, sem mais papo,
Deu-lhe um sopapo e gritou: - Opa!
Não tomo sopa de sapo.

TOC! TOC! À entrada do formigueiro. - Chegou o carteiro! Abra a porta já! Mas a formiga esperta nem deu resposta
Quando viu a tromba do tamanduá

U – U – U: a coruja pia. U – U – U: uiva o lobisomem.
U – U – U: o vampiro tem sede.
U – U – U: o lobo está com fome.

O V está sempre de viagem
E voa veloz como o vento.
Porque tem pressa, não discute:
Com ele é só no vapt-vupt.

Quem bebeu o chá da xícara? O xá. Mas ponha sentido:
É com X o bebedor,
Com CH o bebido.

O zelador do zoológico É chamado Zé da Zebra
Não porque trata os bichos e os ama,
Mas por causa das listras do pijama.

Ká, ka, ka é voz de bicho Eu já vi hiena rir
Mas não acho a menor graça
Ela roubou o meu pequi.

Yahoo é nome de site
Os bichos sabem muito bem
Que pra ficar conectado
Tem que chamar o Seu Neném

Os bichos ficam nas jaulas
Quase não podem se ver
Entram, então na internet
www.bichocadêvocê?







Nenhum comentário: